Bruxelas em 48 horas

Bruxelas em 48 horas

Se você tem pouco tempo e quer conhecer o essencial, confira nosso itinerário para visitar Bruxelas em um final de semana.

Propomos um roteiro para conhecer Bruxelas em um final de semana. Ele está pensado para chegar na cidade numa sexta à noite e pegar o avião de volta no domingo na mesma hora.

Se você quer seguir o mesmo itinerário qualquer outro dia da semana, recomendamos que dê uma olhada nos horários dos museus e lugares que planeja visitar, já que muitos lugares não abrem às segundas-feiras.

Dia da chegada

Não é um dia que dê tempo para visitar monumentos nem museus, porque depois de deixar as malas no hotel, já será um pouco tarde, especialmente se você chegar no aeroporto de Charleroi, que está bastante longe. Mas há tempo suficiente para ver alguns dos lugares mais importantes do centro da cidade.

O melhor ponto de partida para conhecer Bruxelas é seu lugar mais famoso e central, a Grand Place. Ali você poderá ver belos edifícios de estilo neoclássico, como a Prefeitura ou a Casa do Rei. Pegue a rua que está à direita do bar Le Roi d’Espagne, a Rue au Beurre (ou Boterstraat, todas as ruas estão escritas nos dois idiomas), onde você encontrará a Igreja de São Nicolau, uma bonita construção de estilo gótico. Seguindo reto, está o belo edifício neoclássico da Bolsa.

Como provavelmente será uma boa hora para jantar, volte para a Grand Place e pegue a Rue Chair et Pain até chegar na Rue des Bouchers, onde você poderá jantar em um ambiente muito animado. Há dezenas de restaurantes, todos com menus similares que incluem o principal prato de Bruxelas: os mexilhões com batatas fritas (moules frites).

Provavelmente será tarde, por isso termina aqui o passeio de hoje. Uma boa cerveja belga pode te ajudar a pegar no sono mais rápido.

Primeiro dia

A visita começa por volta das 9 da manhã para aproveitar o tempo ao máximo. Vá até a estação de metrô “Schuman” para dar um passeio e conhecer a zona do Parlamento Europeu. Depois de ver a zona de grandes edifícios, vá até o Parque do Cinquentenário para visitar a Autoworld, uma das melhores coleções de carros do mundo.

Depois dessa visita, saia do parque em direção à parte traseira do edifício e pegue o metrô na estação “Merode” para chegar até “Parc”, que te deixará exatamente na frente do Parque de Bruxelas, o mais animado da cidade. Nos extremos do parque encontramos dois importantes edifícios: o Palácio Real e o Palácio da Nação, sede da Câmara dos Representantes e do Senado desde 1830.

Saindo do parque pelo lugar que você entrou, pegue a Rue des Colonias para chegar na Catedral de São Miguel e Santa Gúdula, um dos edifícios mais emblemáticos de Bruxelas.

Volte até o Parque de Bruxelas e siga para a direita até a Place Royale. Lá, gire à direira na primeira rua para visitar o Museu de Instrumentos Musicais, um prazer para os sentidos. Saindo do museu e seguindo pela mesma calçada para o lado direito, você chegará na esquina onde está o imponente Hotel Ravenstein.

Voltando à Praça Real, você poderá ver a bela fachada da Igreja St-Jacques-sur-Coudenberg, e quase em frente dela o Museu Magritte e os Museus Reais de Belas Artes da Bélgica.

Agora pegue a Rue de la Regence para a direita e caminhe até chegar na Place Polaert, de onde você terá uma das melhores vistas panorâmicas da cidade. (Está perto, mas se você estiver cansado, você pode pegar o bonde 92 ou o 94 para chegar lá). Ao lado da praça Polaert, você verá o Palácio de Justiça, um dos maiores e mais impressionantes edifícios de Bruxelas (com acesso permitido de segunda a sexta).

Descendo a Rue de la Regence, você chegará na Igreja Notre Dame du Sablon, uma das mais bonitas da cidade. Seguindo pela Rue des Alexiens, gire à direita na Rue de l’Etuve para conhecer o menino levado de Bruxelas, o Manneken Pis.

O Manneken Pis tem uma versão feminina que não está muito longe e, se você quiser conhecê-la, siga reto pela Rue l’Etuve até a Grand Place e continue pela Rue des Bouchers. No final da rua, gire à esquerda e pegue a primeira à direita. Ali você encontrará a menina, em uma pequena rua. Exatamente do lado está a Cervejaria Delirium Tremens, a mais conhecida de Bruxelas por sua grande variedade de cervejas, de mais de 2.000 tipos.

Depois de passear tantas horas pela cidade, já será tarde, por isso você pode aproveitar para jantar e descansar na Grand Place ou arredores, e continuar conhecendo a cidade no dia seguinte.

Segundo dia

Hoje você pode relaxar um pouco visitando a Mini Europa e o Atomium, um dos símbolos mais importantes de Bruxelas. Para isso, você deve estar na estação de metrô Heysel em torno das 9:30 horas.

Essas duas visitas ocuparão quase toda a manhã, por isso, se ficar tarde, você pode almoçar em algum dos restaurantes da Mini Europa ou pegar o metrô de volta ao centro da cidade. Se você não tiver tempo suficiente, pode prescindir da visita ao interior do Atomium, já que não vale muito a pena.

Lembre-se que se o seu voo sai do Aeroporto de Charleroi, é necessário que você chegue com antecedência na estação Bruxelas-Midi, já que o ônibus demora uma hora em fazer esse trajeto e é provável que já tenha gente esperando e que você tenha que esperar o ônibus seguinte.

Mais de 2 dias em Bruxelas?

Se você tiver vários dias para visitar Bruxelas e já seguiu o nosso roteiro básico, a melhor opção é se animar a fazer alguma excursão a outra cidade. Bruges, Gent e Antuérpia são os lugares que mais vale a pena visitar.

Se você já conhece todo o anterior, em Bruxelas ainda há muitos lugares interessantes para visitar. A Basílica de Sacré-Coeur, o Museu da História Militar e o Museu Horta são alguns dos lugares que recomendamos para viagens mais longas.